quarta-feira, 14 de junho de 2017

Frio

Sei que pertenço a minoria que adora o frio. Logo eu que nasci em pleno carnaval. O frio acalma, tranquiliza, torna as relações humanas mais simples, movimentos mais cordiais. No calor reina a barbárie, a pancadaria, o mau humor mas, sei lá porque, verão é chamado de "tempo bom" e o frio de "tempo ruim".

Fato: os países mais frios são mais desenvolvidos, menos safados e mais humanos em contraste com terras quentes e tórridas. Ontem
chegou uma massa polar aqui no sertão fluminense. Se as cidades não estão preparadas para o seu próprio clima a culpa não é do outono. Leio no noticiário on line a palavra "caos" exibida em várias reportagens. Sim, caos de roubalheira, incompetência, molambalização total dos serviços do Estado.

O frio, comprovadamente, bota ordem na casa. Mas já vejo no Facebook algumas pessoas reclamando. Serão elas as mesmas que fazem aquela barbárie chamada carnaval de blocos, quando a Zona Sul do Rio é destruída sob o reinado da birita? Pode ser.

Fato é que o frio está aí. 18 graus agora. Noites mais nítidas (e, por isso, apaixonantes), dias mais azuis, calma, muita calma.


Tempo de ouvir belas canções.